Anais CBFic - Volume 1 - 2018

Sociedade Brasileira de Ficologia - SBFic

Publicado em 26/11/2018

Volume 1 - 2019

Título do Trabalho

RIQUEZA DE DIATOMáCEAS EPILíTICAS PRESENTES EM LAGOS NA ILHA ELEFANTE, ANTáRTICA

Autores

JULIANA FERREIRA DA SILVA, MARIA ANGéLICA OLIVEIRA LINTON, GUILHERME VEIGA FERREIRA

Modalidade

Resumo

Área Temática

1 BIODIVERSIDADE, FILOGENIA E ECOFISIOLOGIA

Data de Publicação

26/11/2018

País da Publicação

Brasil

Idioma da Publicação

Português

Página do Trabalho

http://sbfic.org.br/anais_show/93

ISSN

Aguardando...

Palavras-Chave

diatomáceas polares, epilíton, ambientes antárticos

Resumo

A compreensão dos ecossistemas e seus organismos é um grande desafio, especialmente quando trabalhamos com ambientes tão inóspitos como os polos. Regiões polares apresentam fortes evidências de influências das mudanças climáticas em espécies, comunidades e ecossistemas de suas águas doces, sendo esperado que estas mudanças continuem. Nos últimos anos estudos em ambientes antárticos têm revelado grande número de espécies novas e, inclusive, endemismos de diversas espécies, previamente consideradas cosmopolitas. Diante disso, esse trabalho objetivou o levantamento das espécies que compõe as comunidades de diatomáceas epilíticas em lagos localizados na Ilha Elefante, integrante do arquipélago das Shetlands do Sul na Antártica. As amostras foram obtidas por meio de raspagem em seixos rochosos na zona litorânea de cinco lagos localizados nesta ilha. As amostragens ocorreram em verões austrais durante as expedições da Operação Antártica Brasileira nos anos de 2012 e 2017 (Operantar XXXI 2012-2013 e Operantar XXXVI 2017-2018). No Laboratório de Ficologia da Universidade Federal de Santa Maria as amostras foram oxidadas e, a partir delas, foram confeccionadas lâminas permanentes usando Naphrax como meio de montagem para posterior análise qualitativa, captura de imagens e identificação, em microscópio óptico. Para identificação dos táxons foi utilizada bibliografia especializada. Foi observado um total de 31 espécies onde os gêneros mais representativos foram, respectivamente, Pinnularia (6), Psammothidium (4) e Nitzschia (3). As espécies Chammaepinnularia krookiformis (Krammer) Lange-Bertalot & Krammer e Gomphonema maritimo-antarcticum Van de Vijver, Kopalová, Zidarova & Kociolek foram encontradas em todos os cinco lagos amostrados. No entanto, a maioria dos táxons listados foi de ocorrência exclusiva em um habitat (54,8%). Os números obtidos permitem preliminarmente caracterizar uma riqueza de espécies de diatomáceas estabelecidos nestes ambientes extremos. Objetivando a caracterização completa da estrutura destas comunidades, este trabalho tem continuidade através da análise quantitativa das amostras, bem como da ampliação do universo amostral para outros períodos e ilhas antárticas.