Anais CBFic - Volume 1 - 2018

Sociedade Brasileira de Ficologia - SBFic

Publicado em 26/11/2018

Volume 1 - 2019

Título do Trabalho

CULTIVO EM DOIS ESTáGIOS DE MICROCYSTIS: UMA ESTRATéGIA PARA AUMENTAR A PRODUçãO DE BIODIESEL

Autores

RAQUEL DA SILVA CORDEIRO , SéRGIA MARIA STARLING MAGALHãES, FRANCISCO ANTôNIO RODRIGUES BARBOSA

Modalidade

Resumo

Área Temática

2 CULTIVO DE ALGAS E SERVIçOS ECOSSISTêMICOS

Data de Publicação

26/11/2018

País da Publicação

Brasil

Idioma da Publicação

Português

Página do Trabalho

http://sbfic.org.br/anais_show/91

ISSN

Aguardando...

Palavras-Chave

cianobactérias, produtividade de biomassa, teor lipídico, qualidade de biocombustível

Resumo

As cianobactérias estão sendo investigadas como potencial matéria-prima para a produção de biodiesel, devido às suas diversas vantagens, como níveis mais altos de fotossíntese e taxas de crescimento em comparação com microalgas e plantas, fixação mais eficiente de dióxido de carbono e baixa necessidade nutricional. Para aproveitar esses benefícios vários pesquisadores estão propondo o uso de uma estratégia de cultivo de dois estágios para aumentar o crescimento celular e o conteúdo lipídico. Logo, o objetivo desse estudo foi aumentar a produção de biomassa e, posteriormente, o teor de lipídios por meio da estratégia em duas etapas de cultivo com quatro espécies de Microcystis. No estágio I, as espécies foram cultivadas em meio ASM-1 com nitrogênio-total para a produção de biomassa e, em seguida, foram transferidas para um meio ASM-1 livre de nitrogênio (estágio II) visando o acúmulo de lipídios. Foram investigados a biomassa, produtividade de biomassa, conteúdo lipídico e composição de ácidos graxos. M. protocystis apresentou maior concentração de biomassa (0,89 ± 0,06 g / L) e produtividade de biomassa (103,2 ± 9,0 mg / L / d), enquanto outras espécies apresentaram desempenho muito semelhante no estágio I. O conteúdo lipídico aumentou significativamente com a mudança do estágio I para o estágio II (P = 0,000). No estágio II, o conteúdo lipídico aumentou 1,4 vezes para M. aeruginosa e M. novacekii, 1,3 vezes para M. protocystis, e M. panniformis foi registrado um aumento de 1,2 vezes. A estratégia de dois estágios não afetou significativamente os perfis lipídicos das espécies. A maior parte do óleo obtido das Microcystis apresentou maior porcentagem de ácido graxo monoinsaturado seguido de saturado e poliinsaturado. O óleo obtido das Microcystis apresentou baixo grau de insaturação. O biodiesel de Microcystis pode apresentar bom desempenho de fluxo a baixas temperaturas devido aos baixos valores de fator saturado de cadeia longa. O teor de ácidos graxos obtidos para todas as espécies de Microcystis em ambos os processos de cultivo foi compatível com os padrões de qualidade do biodiesel, sugerindo que todas as espécies testadas podem ser fontes promissoras de produção de biodiesel e que o processo de dois estágios pode ser uma estratégia eficaz para aumentar o lipídio conteúdo para a produção de biodiesel.