Anais CBFic - Volume 1 - 2018

Sociedade Brasileira de Ficologia - SBFic

Publicado em 26/11/2018

Volume 1 - 2019

Título do Trabalho

EFEITOS DA COMPLEXIDADE ESTRUTURAL DE MACRóFITAS SOBRE A COMUNIDADE DE EPíFITAS EM UM RESERVATóRIO TROPICAL

Autores

SILVANO LIMA DO NASCIMENTO FILHO, ARIADNE DO NASCIMENTO MOURA

Modalidade

Resumo

Área Temática

1 BIODIVERSIDADE, FILOGENIA E ECOFISIOLOGIA

Data de Publicação

26/11/2018

País da Publicação

Brasil

Idioma da Publicação

Português

Página do Trabalho

http://sbfic.org.br/anais_show/90

ISSN

Aguardando...

Palavras-Chave

Algas; biomassa; dimensão fractal; diversidade; interação

Resumo

A heterogeneidade do habitat é um dos principais fatores determinantes da distribuição das comunidades aquáticas e de grande importância na estruturação dos ecossistemas aquáticos. O efeito da complexidade estrutural de macrófitas sobre epífitas vem sendo pesquisado em lagoas, rios e planícies de inundação, entretanto, estudos em reservatórios tropicais são escassos. Nós hipotetizamos que a complexidade da macrófita afeta positivamente os atributos estruturais da comunidade de epífitas em resposta as variáveis ambientais em reservatório oligo-mesotrófico tropical. Quatro espécies de macrófitas com distintas complexidades estruturais e tipos de vida foram amostradas durante um ano. A dimensão fractal das macrófitas mostraram diferença significativa (Anova; F = 105,4; p < 0,002). Cyperus articulatus apresentou a menor complexidade estrutural (D = 1,72), Eichhornia crassipes e Nymphaea pulchella ocuparam uma posição intermediária (D = 1,85 e 1,83, respectivamente) e Ludwigia helminthorrhiza a maior complexidade (D = 1,91). As epífitas coletadas das diferentes espécies de macrófitas totalizaram 124 táxons, distribuídas em nove classes: Chlorophyceae (44), Cyanophyceae (21), Bacillariophyceae (24), Zygnematophyceae (21), Euglenophyceae não perifíticas (4), Trebouxiophyceae (3), Synurophyceae (3), Xanthophyceae (2), e Dinophyceae (1). A riqueza, diversidade, densidade, biovolume e biomassa das epífitas diferiram entre as complexidades das macrófitas e mostraram relação positiva com o aumento da complexidade estrutural das plantas aquáticas. As classes de epífitas como Bacillariophyceae (27,34%), Chlorophyceae (27,06%), Cyanophyceae (19,05%) e Zygnematophyceae (13,57%) mostraram distribuição mais homogênea na macrófita mais complexa. As formas de vidas de epífitas dominantes nas macrófitas foram as unicelulares (60,79%) e filamentosas (31,75%). Em relação à intensidade e forma de aderência, as firmemente aderidas e pedunculadas foram dominantes. A forma pedunculada (44,42%) e emaranhada (41,06%) mostraram maior biomassa, seguida das prostradas (14,38%). As emaranhadas e pedunculadas foram mais abundantes nas macrófitas com complexidade moderada e alta. A análise multivariada (RDA) mostrou que as variáveis abióticas da água não apresentaram efeito significativo sobre a estrutura de epífitas. Portanto, os resultados mostraram que a complexidade estrutural das macrófitas foi o fator principal que afetou positivamente os atributos estruturais das epífitas. O presente estudo avança em pesquisas sobre epífitas mostrando a interação direta de macrófitas naturais em reservatório tropical com diferentes tipos de vida e complexidades estruturais. Assim, concluímos que distintos tipos de vida e complexidades estruturais de macrófitas aquáticas favorecem uma maior diversidade de espécies que podem modificar os níveis tróficos superiores e a dinâmica do ecossistema aquático.