Anais CBFic - Volume 1 - 2018

Sociedade Brasileira de Ficologia - SBFic

Publicado em 26/11/2018

Volume 1 - 2019

Título do Trabalho

HYDRODICTYACEAE (SPHAEROPLEALES, CHLOROPHYCEAE) DO ESTADO DE GOIáS: FLORíSTICA, DISTRIBUIçãO GEOGRáFICA E ASPECTOS ECOLóGICOS

Autores

LAYS SOUSA DO NASCIMENTO, ANNE DAYANE DA SILVA, BENJAMIM MICHAEL REGO SANTOS, JANNE KATHYELLE MOREIRA FERREIRA DO BONFIM, JOSE FELIPE DA CUNHA FROTA, LUANA DANIELA DE OLIVEIRA LUSTOSA, CLEANTO LUIZ MAIA SILVA, FRANCISCA IDERLANE DE OLIVEIRA ROSA, MARIA GARDENIA SOUSA BATISTA

Modalidade

Resumo

Área Temática

1 BIODIVERSIDADE, FILOGENIA E ECOFISIOLOGIA

Data de Publicação

26/11/2018

País da Publicação

Brasil

Idioma da Publicação

Português

Página do Trabalho

http://sbfic.org.br/anais_show/86

ISSN

Aguardando...

Palavras-Chave

Pediastrum, Lago dos Tigres, f. cohaerens

Resumo

Hydrodictyaceae incluem Chlorophyta unicelulares ou cenobiais, porém este último tipo é o mais comum. Esta família é composta por 17 gêneros cujo processo reprodutivo ocorre por meio de zoósporos, sendo que na maioria dos gêneros estes se organizam para formarem cenóbios ocasionando no arranjo final o fusionamento das células em diferentes extensões e estas podem apresentar variados tipos de decoração na parede celular. Os táxons com maior distribuição geográfica pertencente a essa família são registrados para ambientes eutrofizados, por isto questionou-se se a distribuição geográfica desta família teria os representantes nestes tipos de localidade. Assim o presente estudo visa apresentar o inventário florístico de Hydrodictyaceae para o estado de Goiás, tecer considerações sobre a distribuição geográfica e fornecer informações sobre os diferentes tipos de ambientes de ocorrência dos táxons. O Estudo foi realizado em diferentes localidades de Goiás abrangendo ambientes lênticos e lóticos, artificiais ou naturais. Dados liminológicos foram obtidos na maioria dos ambientes. Para estudar a composição florística foram analisadas 338 amostras coletadas por diferentes meios abrangendo principalmente as comunidades fitoplanctônicas (com rede de plâncton de 20 µm) ou ficoperifiticas (recolhimento ou raspagem de macrófitas, material rochoso e outros substratos). O material foi analisado vivo e ou fixado, sendo a triagem feita a partir da análise de em média 10 lâminas de cada amostra em microscópio óptico Zeiss Axioskop 40, microfotografadas a 400 ou 1000 aumentos e posteriormente as amostras foram depositadas no Herbário UFG. Estimou-se a frequência de ocorrência dos táxons e a distribuição no estado. A identificação foi feita com base na literatura atualizada. Foram identificados 13 táxons distribuídos nos gêneros Pediastrum, Parapediastrum, Pseudopediastrum, Lacunastrum, Sorastrum, Stauridium, Tetraedron e Monactinus. Pediastrum duplex Meyen foi o táxon mais comuns (em diferentes comunidades e ambientes). As espécies de rara ocorrência foram Sorastrum americanum (Bohl) Schmidle, Tetraedron minimum (A.Br.) Hansgirg, Tetraedron triangulare Kors., Tetraedron caudatum (Corda) Hansg. e Tetraedron bifurcatum (Wille) Lagerh. Destaca-se o registro de Pediastrum duplex Meyen var. duplex f. cohaerens Bohl. que raramente é mencionado na literatura tendo a distribuição geográfica restrita e recorrente no lago dos Tigres e Represa Samambaia (ambientes lênticos e oligotróficos). O ambiente com maior riqueza taxonômica foi este lago. O presente estudo apresenta ainda os padrões de distribuição dos táxons.