Anais CBFic - Volume 1 - 2018

Sociedade Brasileira de Ficologia - SBFic

Publicado em 26/11/2018

Volume 1 - 2019

Título do Trabalho

SABERES E PRÁTICAS TRADICIONAIS NA EXTRAÇÃO E CULTIVO DE MACROALGAS MARINHAS

Autores

ANA BEATRIZ GOMES FERREIRA, HENRIQUE DOUGLAS DOS SANTOS BORBUREMA, MARCELLA ARAúJO DO AMARAL CARNEIRO, ELIANE MARINHO-SORIANO

Modalidade

Resumo

Área Temática

4 USO SUSTENTáVEL DE ALGAS E OUTROS

Data de Publicação

26/11/2018

País da Publicação

Brasil

Idioma da Publicação

Português

Página do Trabalho

http://sbfic.org.br/anais_show/83

ISSN

Aguardando...

Palavras-Chave

Saberes e Práticas tradicionais; Cultivo; Colheita; Macroalgas.

Resumo

A crise ambiental contemporânea é o resultado da utilização indiscriminada dos recursos ambientais pelo homem, sem os devidos cuidados com a conservação do meio ambiente e com a preservação dos recursos para as futuras gerações. De maneira oposta a tais práticas destrutivas, destaca-se o valor das populações tradicionais na conservação dos recursos naturais. Neste sentido, o resgate dos saberes e práticas tradicionais das comunidades que exploram a natureza, pode auxiliar na identificação e construção de novos parâmetros que favoreçam o desenvolvimento econômico e social aliado ao uso racional dos recursos ambientais. Nesse contexto, este trabalho de revisão bibliográfica teve como objetivo investigar os saberes e práticas tradicionais presentes nas atividades de extrativismo e cultivo de macroalgas marinhas, e a sua relação com a conservação. Para isso, foi realizado um levantamento bibliográfico nos bancos de dados Scielo e Portal de Periódicos da CAPES, para a obtenção de artigos científicos que tratem de conservação, atividades extrativistas e práticas de cultivo de macroalgas em áreas costeiras. As palavras-chave utilizadas nas buscas foram: saberes e práticas tradicionais, comunidades extrativistas e seaweed mariculture. De acordo com a literatura foi percebido que muitas são as comunidades tradicionais que vivem em áreas costeiras e que retiram o seu sustento do mar. Dentre as atividades extrativistas, encontra-se a coleta de algas, que é desenvolvida em áreas rasas litorâneas. Esta atividade envolve saberes adquiridos por meio de tradições locais, do contato direto com o ecossistema marinho e da obtenção direta de conhecimentos transmitidos por seus antepassados. Dentre os saberes tradicionais, destacam-se os conhecimentos relacionados à ecologia da macroalga coletada, seu ciclo de vida e seus processos de crescimento, cadeia alimentar, principais predadores, melhor época de colheita dos bancos naturais e a influência da lua nas marés. No que se refere a produção de algas cultivadas, esse tipo de práticas contribui para a diminuição da pressão exercida sobre os bancos naturais de macroalgas, além de possibilitarem a manutenção e o repovoamento das populações naturais das algas. Por meio deste estudo foi possível verificar que saberes e práticas tradicionais presentes em atividades de extrativismo e cultivo de macroalgas marinhas, influenciam na conservação dos recursos naturais, e que o uso racional destes recursos é importante para a perpetuação das populações tradicionais nos ambientes nos quais estão inseridas.