Anais CBFic - Volume 1 - 2018

Sociedade Brasileira de Ficologia - SBFic

Publicado em 26/11/2018

Volume 1 - 2019

Título do Trabalho

CULTIVO DE CHLORELLA VULGARIS E SCENEDESMUS OBLIQUUS, A PARTIR DE DUAS FONTES DISTINTAS DE ESGOTO DOMéSTICO: EFEITO NA REMOçãO DE NUTRIENTES, NA PRODUçãO DE BIOMASSA E LIPíDEOS

Autores

IDAYANA DA COSTA MARINHO, ANTONIO GUSTAVO DOS SANTOS NETO, ANTONIO JOSé FREIRE DE Sá, SáVIA GAVAZZA, MARIO TAKAYUKI KATO, LOURDINHA FLORêNCIO

Modalidade

Resumo

Área Temática

4 USO SUSTENTáVEL DE ALGAS E OUTROS

Data de Publicação

26/11/2018

País da Publicação

Brasil

Idioma da Publicação

Português

Página do Trabalho

http://sbfic.org.br/anais_show/79

ISSN

Aguardando...

Palavras-Chave

Chlorophyceae, esgoto doméstico, cultivo de microalgas, produção de lipídeos.

Resumo

As microalgas, S. obliquus (SC) e Chlorella vulgaris (CH), foram cultivadas em duas fontes diferentes de esgoto doméstico. A primeira fonte de esgoto doméstico era o efluente do reator UASB, rico em nitrogênio amoniacal (N-NH4+). A segunda era o efluente do biofiltro aeróbio (BAF), rico em nitrogênio na forma de nitrato (N-NO3-). Todos os cultivos foram realizados em triplicata e identificados pelos seguintes códigos: SC-UASB, SC-BAF, CH-UASB e CH-BAF. Aplicou-se o modo de cultivo batelada, com uma concentração inicial de biomassa de 0,1 g SS.L-1, por um período de incubação de 30 dias. Dessa forma, verificou-se qual das espécies, e, ainda qual fonte de esgoto apresentou a maior produtividade de biomassa e lipídeos, bem como o melhor teor de lipídeos. O maior e o menor teor de lipídeos foram encontrados nos cultivos de CH com os efluentes do BAF e do UASB e valores iguais a 39±7% e 12±5%, respectivamente. O rendimento da biomassa sobre o nitrogênio acompanhou a mesma tendência observada para o teor de lipídeos. Apesar do teor de lipídeos ter sido mais alto no CH-BAF, a produtividade em lipídeos foi a mais baixa (30 mg SS.L-1). Além disso, a maior produtividade da biomassa (PB) e a taxa de crescimento específico (µ) foram alcançados com a espécie S. obliquus cultivada em efluente do UASB. Os valores cinéticos dos parâmetros PB e µ foram iguais a 0,017 g SS.L-1 e 0,391 d-1, respectivamente. No cultivo SC-UASB, também foi observada uma maior remoção de nitrogênio (99,3%) em 23 dias de incubação. Provavelmente, as diferentes razões C:N para os efluentes UASB e BAF interferiram na produção de biomassa e lipídeos, uma vez que no UASB ela foi 4x maior do que no BAF (4 versus 1). No final do período de incubação, verificou-se o aparecimento de outros gêneros nos cultivos de CH-UASB e CH-BAF. No primeiro cultivo, identificou-se apenas a presença da classe Chlorophyceae com os seguintes gêneros: Scenedesmus sp., Desmodesmus sp. e Botryoccoccus sp. Já no cultivo de CH-BAF, além da classe Chlorophyceae, detectou-se ainda a presença das classes Cyanophyceae e Bacillariophyceae. Portanto, este estudo comprova a viabilidade de produzir biomassa e lipídeos a partir do esgoto doméstico, o qual é considerado um resíduo sem valor agregado.