Anais CBFic - Volume 1 - 2018

Sociedade Brasileira de Ficologia - SBFic

Publicado em 26/11/2018

Volume 1 - 2019

Título do Trabalho

DIATOMÁCEAS CÊNTRICAS E PENADAS ARRAFÍDEAS PRESENTES NO RIO ACARAÚ, CEARÁ, BRASIL

Autores

LUCAS ANDRADE RODRIGUES, KAOLI PEREIRA CAVALCANTE, MARIA GABRIELLE RODRIGUES MACIEL, FáTIMA BEATRIZ MESQUITA DAMASCENO

Modalidade

Resumo

Área Temática

1 BIODIVERSIDADE, FILOGENIA E ECOFISIOLOGIA

Data de Publicação

26/11/2018

País da Publicação

Brasil

Idioma da Publicação

Português

Página do Trabalho

http://sbfic.org.br/anais_show/75

ISSN

Aguardando...

Palavras-Chave

Bacillariophyta, caatinga, taxonomia.

Resumo

As diatomáceas (Bacillariophyta) estão presentes nos mais variados ambientes aquáticos, geralmente abundantes tanto em comunidades planctônicas quanto nas comunidades perifíticas, onde cada comunidade possui uma diversidade particular de formas, composição de espécies e estratégias adaptativas. A maior parte da informação sobre a biodiversidade de diatomáceas do país está concentrada nas regiões sul e sudeste. Sistemas aquáticos inseridos na caatinga são menos estudados. O presente estudo teve como objetivo realizar o levantamento das diatomáceas cêntricas e penadas arrafídeas encontradas no rio Acaraú, noroeste do Ceará, Brasil. As coletas foram realizadas em três pontos marginais do rio, localizados na Fazenda Experimental da Universidade Estadual Vale do Acaraú. As amostras de perifíton foram obtidas a partir da coleta manual de substratos naturais do epifíton (partes submersas de plantas aquáticas) e episâmon (areia superficial), preservadas em solução de transeau a 50%. Lâminas permanentes foram confeccionadas e analisadas em microscópio de luz com câmera de captura acoplada. Foram determinadas quatro espécies de diatomáceas cêntricas, sendo elas Aulacoseira ambigua (Grunow) Simonsen, Cyclotella cryptica, Reimann Lewin et Guillard, Cyclotella meneghiniana Kützing, Discostella stelligera (Cleve et Grunow) Houk et Klee; e duas espécies de penadas arrafídeas, Staurosirella pinnata (Ehrenberg) Williams et Round e Ulnaria ulna (Nitzsch) Compère. Apenas C. meneghiniana ocorreu em todas as amostras analisadas, C. cryptica ocorreu em três amostras e U. ulna apareceu em apenas duas amostras, o restante dos táxons foi observado em apenas um local. Os dados já apresentam relevante contribuição para a diatomoflora local, apresentando novas ocorrências e ampliando a distribuição de táxons de diatomáceas para a região do semiárido.