Anais CBFic - Volume 1 - 2018

Sociedade Brasileira de Ficologia - SBFic

Publicado em 26/11/2018

Volume 1 - 2019

Título do Trabalho

ALTERAçõES NO VALOR NUTRICIONAL DE MICROALGAS EM RESPOSTA A VARIAçãO DE TEMPERATURA, CULTIVO UNIALGAL E MISTO

Autores

FREDERICO PACHECO MILITãO, VALéRIA DE OLIVEIRA FERNANDES, FERNANDA BRêDA ALVES, LEVI POMPERMAYER MACHADO

Modalidade

Resumo

Área Temática

3 BIOTECNOLOGIA E INOVAçõES

Data de Publicação

26/11/2018

País da Publicação

Brasil

Idioma da Publicação

Português

Página do Trabalho

http://sbfic.org.br/anais_show/65

ISSN

Aguardando...

Palavras-Chave

Cultivo misto, Pseudopediastrum, Scenedesmus, biomassa, segurança alimentar.

Resumo

A biomassa microalgal tem diversas aplicações comerciais, sobretudo nas indústrias farmacêutica, de alimentos, da criação animal e, mais recentemente, de biocombustíveis. O uso de populações de microalgas em culturas mistas pode conferir vantagens como a redução de custos com contaminação e obtenção de biomassa rica em lipídeos, carboidratos e proteínas. Nesse contexto, o presente estudo avaliou o desenvolvimento de Pseudopediastrum boryanum (Turpin) E. Hegewald e Scenedesmus obliquus (Turpin) Kützing em cultivos unialgais e mistos, em três diferentes temperaturas, 20, 30 e 40 °C, em escala laboratorial, em termos de biomassa e composição bioquímica. O cultivo foi do tipo batelada, em meio ASM1. A densidade celular foi determinada por contagem direta em hemocitômetro a cada dois dias. O teor de clorofila ‘a’ e carotenoides foi avaliado no 10º e 21º dias e as análises de proteínas, carboidratos, lipídeos totais e perfil de ésteres metílicos apenas ao final do experimento. Não foi registrado crescimento celular nas cepas cultivadas em 40 °C. Incremento na densidade celular (13.6 x 106 cell.mL-1) e biomassa seca (55 g.L-1) foram registrados na cultura unialgal de S. obliquus em 30 °C. Elevadas concentrações de proteínas (672.6 mg.g-1) foram observadas nos cultivos unialgais de P. boryanum e de S. obliquus em 20 °C e de carboidratos (6.17 mg.g-1) apenas no cultivo unialgal de P. boryanum em 30 °C. Os FAMEs (fatty acid methyl esteres) variaram significativamente em relação ao número de insaturações, sendo constituídos em sua maioria por ácidos graxos com duas ou mais insaturações. A biomassa dos tratamentos analisados foi rica em proteínas, ácidos graxos essenciais, como o ácido linolênico, e apresentou baixo teor de carboidratos, sugerindo seu potencial uso como suplemento alimentar. Nossos resultados indicam que a cultura mista de P. boryanum e S. obliquus não foi uma condição eficiente para a produção de biomassa ou compostos bioquímicos. No entanto, algas cultivadas em consórcio apresentaram melhor estabilidade em sua composição bioquímica em resposta a mudanças de temperatura, fator importante para a produção de microalgas em lagoas abertas e para garantir a segurança alimentar. Estes resultados sugerem que os consórcios entre diferentes espécies de microalgas devem ser testados para determinar melhores metodologias para produção de biomassa e metabólitos com maior estabilidade à fatores ambientais.