Anais CBFic - Volume 1 - 2018

Sociedade Brasileira de Ficologia - SBFic

Publicado em 26/11/2018

Volume 1 - 2019

Título do Trabalho

PROTOCOLO DE DESCONTAMINAçãO DA MACROALGA BOSTRYCHIA BINDERI (RHODOMELACEAE: RHODOPHYTA) PARA CULTURAS LABORATORIAIS E ESTUDOS ECOFISIOLóGICOS

Autores

HENRIQUE DOUGLAS DOS SANTOS BORBUREMA, ÊMILLE NATANE DE ARAúJO BARBOSA, GEORGE EMMANUEL CAVALCANTI DE MIRANDA

Modalidade

Resumo

Área Temática

1 BIODIVERSIDADE, FILOGENIA E ECOFISIOLOGIA

Data de Publicação

26/11/2018

País da Publicação

Brasil

Idioma da Publicação

Português

Página do Trabalho

http://sbfic.org.br/anais_show/54

ISSN

Aguardando...

Palavras-Chave

Bostrychia binderi, culturas laboratoriais, detergente líquido, descontaminação, estudos ecofisiológicos, Hipoclorito de Sódio, Iodopovidona.

Resumo

Culturas de macroalgas livres de organismos contaminantes são necessárias para estudos ecofisiológicos. Espécies do gênero Bostrychia formam a estrutura da comunidade de manguezais denominada “Bostrychietum”. Como muitos organismos estão associados ao “Bostrychietum”, é difícil a obtenção de culturas de Bostrychia livres de organismos contaminantes. Nesta perspectiva, para a descontaminação da superfície dos talos de Bostrychia binderi foi testada a eficácia de detergente líquido a 5% combinado aos agentes químicos: Iodopovidona a 1% e Hipoclorito de Sódio a 0,2%. Talos (35) da macroalga foram imersos em detergente líquido (50 ml de detergente + 950 ml de água deionizada) por 1 min, e posteriormente o detergente foi removido com água do mar esterilizada. Em seguida, os talos foram imersos nos diferentes tratamentos: Iodopovidona por 15 s, 30 s, 1 min e 2 min (tratamentos 1, 2, 3 e 4); e Hipoclorito de Sódio por 1 min, 2 min e 5 min (tratamentos 5, 6 e 7). As substâncias foram removidas dos talos por três sucessivas lavagens em água do mar esterilizada. Um tratamento controle consistiu em talos que não foram imersos em nenhum agente químico. Cada tratamento teve cinco réplicas e os materiais utilizados nos procedimentos foram esterilizados. Após estes procedimentos, os talos foram cultivados por 14 dias, sendo pesados semanalmente para posterior cálculo de suas taxas de crescimento (proxy da saúde dos talos por terem sido imersos nos agentes químicos). Ao final do cultivo, os organismos (ciliados, microcrustáceos, nematódeos, anelídeos e pequenos gastrópodes) presentes nos meios de cultura dos talos foram quantificados em microscopia óptica. Os tratamentos utilizando Iodopovidona não apresentaram eficácia para a eliminação de organismos associados à macroalga, enquanto que os tratamentos com Hipoclorito de Sódio, com imersão dos talos por 2 e 5 min, apresentaram eficácia, exceto para os anelídeos. O crescimento dos talos do controle não diferiu dos imersos em Hipoclorito de Sódio por 1 e 2 min, enquanto que diferiu significativamente dos imersos por 5min, sendo menor neste tratamento. Iodopovidona não apresentou efeito significativo no crescimento dos talos. De acordo com os resultados obtidos, para a obtenção de culturas de B. binderi livres de organismos contaminantes, recomendamos a imersão dos talos por 1 min em detergente líquido a 5%, e em seguida em Hipoclorito de Sódio a 0,2%, por 2 min; e remoção física de anelídeos. Os dados obtidos neste estudo contribuem para o melhoramento de culturas laboratoriais e estudos ecofisiológicos de B. binderi.