Anais CBFic - Volume 1 - 2018

Sociedade Brasileira de Ficologia - SBFic

Publicado em 26/11/2018

Volume 1 - 2019

Título do Trabalho

AVALIAçãO DO ESTADO DE CONSERVAçãO E PROPOSTA DE MONITORAMENTO DOS RECIFES COSTEIROS DE JOãO PESSOA E CABEDELO, PARAíBA, BRASIL.

Autores

DANIEL SILVA LULA LEITE, GEORGE EMMANUEL CAVALCANTI DE MIRANDA, GABRIEL PONCIANO DE MIRANDA

Modalidade

Resumo

Área Temática

1 BIODIVERSIDADE, FILOGENIA E ECOFISIOLOGIA

Data de Publicação

26/11/2018

País da Publicação

Brasil

Idioma da Publicação

Português

Página do Trabalho

http://sbfic.org.br/anais_show/52

ISSN

Aguardando...

Palavras-Chave

Ambientes recifais; Urbanização; Avaliação e monitoramento ambiental.

Resumo

Sob ameaça do crescente impacto antrópico, principalmente nas zonas costeiras, os ambientes recifais sofrem com impactos decorrentes da urbanização. Na Paraíba, os recifes são importantes atrativos turísticos, no entanto, impactos decorrentes dessa atividade vêm tornando emergencial o diagnóstico da saúde e a elaboração de propostas de monitoramento desses ecossistemas. O presente estudo objetivou avaliar a variação espacial e temporal das populações macrobentônicas dos recifes de João Pessoa/PB e Cabedelo/PB, servindo como base para indicação do estado de conservação e proposta de monitoramento da qualidade ambiental. Foram avaliadas as regiões entremarés dos recifes de Formosa, Areia Vermelha (Cabedelo/PB), Picãozinho e Seixas (João Pessoa/PB). Realizou-se coletas em Dezembro/17, Janeiro/18, Fevereiro/18 (estação seca), Junho/18, Julho/18 e Agosto/2018 (estação chuvosa). Foram plotadas e fotografadas aleatoriamente 50 unidades amostrais utilizando o método do círculo graduado. As fotos foram analisadas no programa Coral Point Count with Excel extensions (CPCe), objetivando identificar % de cobertura das espécies. Com base na cobertura, selecionou-se espécies pelo método do Valor Indicador Individual (IndVal), o qual avalia a força da relação entre a ocorrência de uma espécie e uma área. As espécies selecionadas possuem potencial bioindicador compondo uma das duas classes: (I) bioindicadores de contaminação orgânica, pisoteio e sedimentação; e (II) bioindicadores de áreas pouco impactadas pela urbanização. Foi encontrado um total de 31 espécies de macrobentos. Foram escolhidas as três espécies de cada recife que apresentaram os maiores e significativos de IndVal. As espécies selecionadas pelo IndVal são características de recifes mesolitorâneos submetidos a baixa influência de impactos, não sendo capazes de se desenvolverem em águas eutrofizadas. A exceção é a espécie Acanthophora spicifera selecionada no recife de Areia Vermelha, classificada como Oportunista e sendo comumente encontrada em ambientes recifais que possuem atividade turística, tolerando o pisoteio e outros distúrbios de origem turística. No entanto, a ocorrência de A. spicifera em Areia Vermelha é entendida como natural, não representando um sinal de alerta, mas um comportamento sazonal. A proposta de monitoramento é baseada no acompanhamento trimestral das espécies selecionadas pelo IndVal. O desaparecimento das espécies bioindicadoras de qualidade ambiental ou dominância, independente do período, da espécie A. spicifera em Areia Vermelha, são indícios da ocorrência de impactos. A análise do potencial bioindicador das espécies selecionadas indicam que os recifes costeiros de João Pessoa e Cabedelo possuem boa qualidade ambiental, estando submetidos a baixos níveis de impactos antrópicos, e, principalmente, atividades turísticas sustentáveis.