Anais CBFic - Volume 1 - 2018

Sociedade Brasileira de Ficologia - SBFic

Publicado em 26/11/2018

Volume 1 - 2019

Título do Trabalho

ESTRATéGIAS INOVADORAS PARA A EDUCAçãO CIENTíFICA E AMBIENTAL

Autores

NATALIA PIRANI GHILARDI-LOPES

Modalidade

Resumo

Área Temática

4 USO SUSTENTáVEL DE ALGAS E OUTROS

Data de Publicação

26/11/2018

País da Publicação

Brasil

Idioma da Publicação

Português

Página do Trabalho

http://sbfic.org.br/anais_show/5

ISSN

Aguardando...

Palavras-Chave

ciência cidadã; ambientes marinhos e costeiros; jogos educativos; educação ambiental; alfabetização científica; alfabetização oceânica

Resumo

A ciência aparece muitas vezes desconectada do cotidiano das pessoas, não havendo muito conhecimento por parte da população dos processos envolvidos para o desenvolvimento de pesquisas cientificas e para a coleta de dados sobre a biodiversidade. Em um mundo em constante mudança tornam-se necessárias estratégias para a conscientização crítica do público, levando à possibilidade de tomadas de decisão embasadas em conhecimentos científicos. A Educação Ambiental Crítica permite o ganho de conhecimento, a sensibilização e a conscientização, promove o desenvolvimento de habilidades, atitudes e valores e estimula a participação dos cidadãos relativa às questões socioambientais, dentre elas as relacionadas aos ambientes marinhos e costeiros. A educação ambiental e científica associada ao uso de metodologias ativas de aprendizagem pode auxiliar na formação de cidadãos que sejam capazes de “pensar para a vida”. Serão apresentadas duas estratégias utilizadas na UFABC para a promoção da educação ambiental e alfabetização científica e oceânica: 1) o desenvolvimento de jogos educativos, entre eles o “Apicum Game” (disponível em http://professor.ufabc.edu.br/~natalia.lopes/jogosmarinhos/), que aborda a questão das mudanças climáticas e seus efeitos nos ambientes marinhos e costeiros e 2) o desenvolvimento, aplicação e avaliação de protocolos de ciência cidadã, os quais permitem a obtenção de dados científicos em ampla escala espacial e temporal ao mesmo tempo em que promovem a educação científica e a ambiental do público. A ciência cidadã pode ser entendida como o processo que envolve o público no fazer científico, contando com cidadãos como colaboradores ativos do processo de produção do conhecimento. Em especial, serão apresentados dois estudos de caso: a) o projeto “Monitore Tupinambás” (disponível em http://professor.ufabc.edu.br/~natalia.lopes/cienciacidada/index.php/bentos-marinho), relacionado ao monitoramento de comunidades marinhas bentônicas de substrato consolidado e 2) o projeto "Ciência Cidadã como auxílio no estudo de presença e abundância de euglenas em praias do Litoral Paulista" (disponível em http://professor.ufabc.edu.br/~natalia.lopes/cienciacidada/index.php/euglenas) . Pretende-se, a partir dos exemplos citados, evidenciar que diferentes estratégias podem ser usadas para a integração entre a educação ambiental e a educação científica.