Anais CBFic - Volume 1 - 2018

Sociedade Brasileira de Ficologia - SBFic

Publicado em 26/11/2018

Volume 1 - 2019

Título do Trabalho

ESTRUTURA E DINÂMICA DOS GRUPOS FUNCIONAIS DO FITOPLÂNCTON EM UM RESERVATÓRIO DE ABASTECIMENTO PÚBLICO NO ESTADO DO PIAUÍ/BRASIL

Autores

ANA KAROLINE DA COSTA FERREIRA, NILMARA RODRIGUES MACHADO, GIOVANNA SANTOS DE SOUZA, BIANCA GALENO RODRIGUES , ADRYELE RIBEIRO ARANTES, RUCELINE PAIVA MELO LINS

Modalidade

Resumo

Área Temática

1 BIODIVERSIDADE, FILOGENIA E ECOFISIOLOGIA

Data de Publicação

26/11/2018

País da Publicação

Brasil

Idioma da Publicação

Português

Página do Trabalho

http://sbfic.org.br/anais_show/167

ISSN

Aguardando...

Palavras-Chave

GRUPOS FUNCIONAIS. CIANOBACTÉRIAS. RESERVATÓRIOS.

Resumo

O presente trabalho avaliou a estrutura e a dinâmica dos grupos funcionais fitoplanctônicos, bem como as condições limnológicas de um reservatório destinado ao abastecimento público e múltiplos usos no estado do Piauí/Brasil (Reservatório de Piracuruca). As coletas de água e material biológico ocorreram no período de setembro/2014 a março/2015 na zona eufótica dos pontos: P1 (Próximo a captação de água), P2 (Montante dos tanques-rede), P3 (Próximo aos tanques-rede) e P4 (a jusante dos tanques-rede). As variáveis abióticas analisadas foram: temperatura da água, pH, condutividade elétrica(CE), oxigênio dissolvido(OD) e transparência, obtidos in situ com o auxílio de aparelhos portáteis. A N-NH4, N-NO2, N-NO3, fósforo total(PT) e fósforo reativo solúvel(PSR) segundo APHA (2005). A classificação dos grupos funcionais do fitoplâncton seguiram Reynolds et al. (2002) e Padisák (2009). Foram verificadas estações sazonais bem definidas, com período de estiagem de setembro a dezembro/2014 e chuvoso de janeiro a março/2015. O reservatório apresentou águas quentes (˃29,6°C), bem oxigenadas (˃8,22mg.L-1), elevada transparência (˃1,01m) e pH neutro-alcalino. A CE manteve-se alta durante todo estudo (máx=157,0µS.cm3). O PRS obteve maiores valores em março/2015 (23,98µg.L-1 no P3) e o PT com máximo de 222,35µg.L-1, no ponto próximo a captação de água no mês de março/2015. Contínuos acréscimos de nutriente de PT foram evidenciados ao longo do tempo, contribuindo com alterações da condição trófica do reservatório (mesotrófico para eutrófico). Já para série nitrogenada observou-se valores máximos de N-NH4 de 36,16µg.L-1, de N-NO2 7,23µg.L-1e de N-NO3 de 145,82µg.L-1 no P1. Foram identificados 112 táxons fitoplanctônicos, com 20 espécies representando ≥5% da biomassa total registrada. Os valores de biomassa variaram de 82mm3.L-1 a 100mm3.L1, sendo maiores nos pontos 1 e 2. Os grupos funcionais mais representativos no ambiente foram: N, NA, J, W1, MP e TB, sendo os principais representantes desses grupos Staurastrum sp., Micrasteria foliácea, Coelastrum astroideum, Euglena caudata, Diploneis sp., e Navicula sp. Já os grupos compostos especialmente por cianobactérias: grupos M (Microcystis sp.), S1 (Pseudonabaena sp. e Planctolyngbya limnetica) e Sn (Cylindrospermopsis raciborskii), estiveram presentes em todos os períodos amostrais e com altas concentrações de biomassa nos meses chuvosos (janeiro a março/2015). Tais resultados alertam para presença de elevadas biomassas de grupos funcionais compostos por cianobactérias potencialmente toxigênicas. Sendo esse cenário, um potencial ameaçador aos usuários deste corpo hídrico. Assim faz-se necessário um monitoramento constante do reservatório, uma vez que este é destinado a usos múltiplos. Apoio financeiro: FAPEPI e CNPq (Edital FAPEPI/SESAPI/MS/CNPq/Nº003/2013-PPSUS: gestão compartilhada em saúde-Edição 2012).