Anais CBFic - Volume 1 - 2018

Sociedade Brasileira de Ficologia - SBFic

Publicado em 26/11/2018

Volume 1 - 2019

Título do Trabalho

BIOPROSPECçãO DE EXTRATOS DA PHAEOPHYTA DICTYOTA MERTENSII (MARTIUS) KüTZING

Autores

RAMON IGOR DA SILVEIRA OLIVEIRA, JORGE ANDERSON NASCIMENTO DOS SANTOS, NATHALIA MOURA SILVA, LAIS SILVA DO VALE CORDEIRO, ANA LUIZA FERNANDES BEZERRA , SARA LIMA CORDEIRO, MARIANA SANTANA SANTOS PEREIRA DA COSTA

Modalidade

Resumo

Área Temática

3 BIOTECNOLOGIA E INOVAçõES

Data de Publicação

26/11/2018

País da Publicação

Brasil

Idioma da Publicação

Português

Página do Trabalho

http://sbfic.org.br/anais_show/157

ISSN

Aguardando...

Palavras-Chave

Atividade antioxidante. Compostos bioativos. Extratos algáceos.

Resumo

As macroalgas são importantes fontes de metabólitos bioativos, sendo por isso, amplamente exploradas por diversos ramos da indústria, inclusive a indústria farmacêutica. A alguns desses metabólitos são atribuídas diversas atividades farmacológicas, como a atividade antioxidante. Este trabalho teve como objetivo realizar a caracterização química e fitoquímica de extratos com diferentes graus de polaridades obtidos da Phaeophyta Dictyota mertensii (Martius) Kützing, coletada na praia de Camapum (Macau-RN), bem como avaliar o potencial antioxidante desses extratos. Após a coleta, a alga foi submetida à lavagem em água corrente, sendo posteriormente seca em estufa areada a 50 °C e triturada. A seguir, foi realizada a extração de biomoléculas utilizando-se cinco solventes de diferentes graus de polaridade, obtendo-se o extrato aquoso, metanólico, etanólico, hidrometanólico e o hidroetanólico. O rendimento final de cada extrato foi: 4,4%, 4,4%, 1,0%, 5,1% e 6,3%, respectivamente. Realizou-se a caracterização química dos extratos para verificação dos teores de açúcares totais, pelo método de fenol-ácido sulfúrico; proteínas, pelo método de Bradford; compostos fenólicos, pelo método de Folin-Ciocalteau (expressos em Equivalentes de Ácido Gálico (EAG)); e a caracterização fitoquímica, para investigar a presença de metabólitos secundários. O potencial antioxidante dos extratos (expresso em Equivalentes de Ácido Ascórbico (EAA)) foi determinado pelo método de Capacidade Antioxidante Total (CAT). Verificou-se que o extrato aquoso apresentou a maior quantidade de açúcares totais (77,0% ± 9,4), seguido pelo metanólico (62,5% ± 6,7), hidroetanólico (55,9% ± 5,1), hidrometanólico (48,7% ± 2,3) e pelo etanólico (25,3% ± 0,2). Os teores de proteínas para os extratos aquoso, etanólico, metanólico, hidroetanólico e hidrometanólico foram, respectivamente: 0,4% ± 0,1; 2,7% ± 0,2; 4,5% ± 0,1; 1,5% ± 0,1; e 1,4% ± 0,1. A partir das análises, verificou-se que o extrato metanólico possui maior quantidade de compostos fenólicos (73,2 ± 2 EAG), seguido pelo aquoso (34 ± 2 EAG), hidrometanólico (22,7 ± 0,5 EAG), hidroetanólico (22 ± 2 EAG) e etanólico (20,1 ± 0,8 EAG). Os testes fitoquímicos revelaram a presença de flavonoides do tipo chalconas nos cinco extratos. No ensaio de CAT, todos os extratos tiverem atividade antioxidante, sendo o metanólico a apresentar maior atividade antioxidante (262 ± 8 EAA), seguido pelo hidroetanólico (235 ± 8,5 EAA), aquoso (107 ± 16 EAA), etanólico (106 ± 10,1 EAA), e hidrometanólico (79 ± 2,2 EAA). Dessa forma, a D. mertensii coletada em Camapum se mostra como uma boa fonte para extração de moléculas bioativas com potencial antioxidante.