Anais CBFic - Volume 1 - 2018

Sociedade Brasileira de Ficologia - SBFic

Publicado em 26/11/2018

Volume 1 - 2019

Título do Trabalho

O ESTUDO DAS COMUNIDADES MACRO BENTôNICAS ASSOCIADAS AS MACROALGAS EM PRAIAS DE DIFERENTES NíVEIS DE IMPACTOS ANTRóPICOS, NO LITORAL DE PERNAMBUCO

Autores

FILIPE RAMOS CORREIA, JULIANA MARTA PEREIRA CAMPOS, BRUNA CONCEIçãO SOUZA MOTA, AMANDA CRISTINA DA SILVA, BARBARA DA SILVA NACITO GONçALVES, MARLANE MARINHO SILVA, PEDRO HERINQUE LEITE REBOUçAS, EDSON RéGIS T. P. P. DE VASCONCELOS, JOSé SOUTO ROSA FILHO

Modalidade

Resumo

Área Temática

1 BIODIVERSIDADE, FILOGENIA E ECOFISIOLOGIA

Data de Publicação

26/11/2018

País da Publicação

Brasil

Idioma da Publicação

Português

Página do Trabalho

http://sbfic.org.br/anais_show/153

ISSN

Aguardando...

Palavras-Chave

Impacto Ambiental; Fital; Complexidade Estrutural

Resumo

As macroalgas, além de cumprir seu papel como base da cadeia alimentar em ambientes costeiros, são consideradas como um importante habitat para uma variedade de animais. Essa fauna associada utiliza estes organismos para moradia, reprodução e alimentação. A variedade morfológica das macroalgas gera uma complexidade estrutural relevante para essa fauna e influência na abundância e composição das espécies. O presente trabalho visa comparar a fauna associada às macroalgas dominantes, de regiões entremarés, de ambientes recifais em um gradiente de impactos antropogênicos. Foram realizadas coletas em praias da região metropolitana de Recife - PE (Boa viagem, Porto de Galinhas e Enseada dos Corais), já as macroalgas escolhidas foram Palisada perforata (Bory) K.W.Nam 2007, Gelidiella acerosa (Forsskål) Feldmann & Hamel 1934, sendo 8 réplicas de cada alga, as algas foram coletadas em duas parcelas dos recifes. As algas foram envoltas em um saco plástico, sendo retirada do substrato a partir do apressório e levadas para o laboratório para análise. Foram utilizados descritores de comunidades, análises estatísticas univariadas e as multivariadas foram realizadas entre os fatores Local (Nível de impacto: Alto, médio e baixo) e Complexidade estrutural (Muito complexa ou Pouco complexa). Foram testados os fatores nível e Impacto e alga (G. acerosa e P. perforata). As análises univariadas foram realizadas através da ANOVA Fatorial, e foram utilizados os descritores ecológicos: Nº de Espécie (S), Nº de indivíduos (N), Riqueza (Margaleff) (d), Equitatividade (Pielou) (J’) e Diversidade (Shanon base e) (H’ loge), os dados apresentaram variâncias homogêneas para o teste de Levene. O número de táxon, o número de espécimes e a riqueza da fauna bentônica variou significativamente no gradiente de impacto, obtendo uma média mais alta em locais com baixo impacto, Já para o fator alga não houve diferença, para esses descritores ecológicos. Para as análises multivariadas os dados foram transformados a partir da raiz quarta e realizada uma matriz de similaridade de Bray-Curtis. A PERMANOVA evidencia diferenças na comunidade bentônica no gradiente de impacto. No entanto essa diferença não é equivalente para as algas amostradas. Conclui-se que o fator impacto influencia bastante nas comunidades bentônicas, sendo mais importante do que a complexidade estrutural das algas, na qual é notado que mesmo com diferença entre complexidade não foi importante o suficiente para ocorrer diferenças, sugerindo que o impacto ambiental têm grande importância na formação das comunidades bentônicas estudadas.