Anais CBFic - Volume 1 - 2018

Sociedade Brasileira de Ficologia - SBFic

Publicado em 26/11/2018

Volume 1 - 2019

Título do Trabalho

ESTRUTURA DA COMUNIDADE FITOPLANCTôNICA NAS REPRESAS RIO GRANDE (SISTEMA BILLINGS) E TAIAçUPEBA (SISTEMA ALTO TIETê)

Autores

EDNA FERREIRA ROSINI, NANCI BARBARA PICãO, FERNANDA DALL’ARA AZEVEDO , REGINA DE OLIVEIRA MORAES ARRUDA

Modalidade

Resumo

Área Temática

1 BIODIVERSIDADE, FILOGENIA E ECOFISIOLOGIA

Data de Publicação

26/11/2018

País da Publicação

Brasil

Idioma da Publicação

Português

Página do Trabalho

http://sbfic.org.br/anais_show/150

ISSN

Aguardando...

Palavras-Chave

Fitoplâncton, Chlorophyceae, Cianobactéria, Dolichospermum, Transposição hídrica

Resumo

Este estudo analisou a alteração espacial e temporal da estrutura da comunidade fitoplanctônica da Represa Rio Grande e Taiaçupeba após a transposição das águas da represa Rio grande (Sistema Billings) para a Represa Taiaçupeba (Sistema Alto Tietê). As Amostras de água foram obtidas no período seco (agosto/2016) e chuvoso (fevereiro/2017) na subsuperfície em três pontos de coleta: P1 - local de captação de água na represa Rio Grande para transposição para represa Taiaçupeba, P2 – reservatório Taiaçupeba - estação de coleta de água pela Sabesp para abastecimento e P3- reservatório Taiaçupeba - local de entrada de água do reservatório Jundiaí. As análises quantitativas da comunidade fitoplanctônica foram realizadas em microscópio invertido de acordo com o método de Utermöhl. Foram avaliados os seguintes atributos da comunidade: riqueza (número de táxons), densidade, diversidade, abundância e dominância. Em campo foi analisada a temperatura da água, pH, oxigênio dissolvido, condutividade elétrica e turbidez. Em laboratório foi analisado o fósforo total e o nitrogênio total. Os maiores valores de riqueza foram registrados no período chuvoso em todos os pontos analisados, sendo que o ponto 1, tanto no período chuvoso (68 táxons) quanto seco (37 táxons), apresentou maior riqueza específica. A densidade máxima (3.432 org mL-1) foi registrada no ponto 1, período seco, período em que foram registradas as maiores concentrações de fósforo total e nitrogênio total e os maiores valores de condutividade elétrica. Chlorophyceae (1.987 org mL-1) contribuiu com as maiores densidades no período seco e cianobactéria (715 org mL-1) no período chuvoso. A diversidade foi de 2,2 bits.ind-1 até 4,4 bits.ind-1, sendo a maior diversidade registrada no ponto 3, período chuvoso. 32 táxons foram classificados como abundantes. Destes destaca-se Dolichospermum planctonicum (Brunnthaler) Walcklin, Hoffmann and Komárek, abundante em todas as amostras no período seco e classificado como dominante no ponto 3. Os resultados demonstraram que, durante o período de estudo, as alterações observadas na estrutura da comunidade fitoplanctônica esteve relacionada à sazonalidade, uma vez que as maiores concentrações de nutrientes registradas no período seco, provavelmente, favoreceram a abundância de Dolichospermum planctonicum em todos os pontos analisados e a dominância desta espécie no ponto 3.