Anais CBFic - Volume 1 - 2018

Sociedade Brasileira de Ficologia - SBFic

Publicado em 26/11/2018

Volume 1 - 2019

Título do Trabalho

DIATOMáCEAS (BACILLARIOPHYTA), EXCETO EUNOTIACEAE, NO PLâNCTON DO LAGO JURUCUí, BELTERRA-PA

Autores

ANDREIA CAVALCANTE PEREIRA, RAIANA LARA REBELO FREIRE , SéRGIO DE MELO

Modalidade

Resumo

Área Temática

1 BIODIVERSIDADE, FILOGENIA E ECOFISIOLOGIA

Data de Publicação

26/11/2018

País da Publicação

Brasil

Idioma da Publicação

Português

Página do Trabalho

http://sbfic.org.br/anais_show/135

ISSN

Aguardando...

Palavras-Chave

microalgas, inundação, taxonomia, Amazônia

Resumo

As diatomáceas são microalgas abundantes nos ambientes aquáticos continentais amazônicos de ampla distribuição geográfica. No entanto, poucos são os estudos sobre a taxonomia de diatomáceas no estado do Pará, seja em águas brancas ou em águas claras. Com base neste contexto, é de relevante importância estudos florísticos deste grupo, frente a sua rica biodiversidade e complexidade de suas imensas bacias de drenagem, representadas pelos diversos ecossistemas aquáticos existentes na região paraense. O presente estudo teve como objetivo realizar um estudo florístico das espécies de diatomáceas (Bacillariophyta) encontradas em um lago de inundação de águas claras da bacia do rio Tapajós para o avanço do conhecimento da biodiversidade de diatomáceas na Amazônica Brasileira. O Lago Jurucuí está localizado a cerca de 40Km do município de Santarém. As amostras foram obtidas com rede de plâncton com abertura de malha de 20 μm, através de arrasto vertical e horizontal, mensalmente, entre o período julho de 2016 a dezembro de 2016 em duas estações (região central e final do lago). Cada amostra coletada foi armazenada em frasco de vidro com capacidade para 100 mL e fixada com solução Transeau. No laboratório, para a análise das espécies, as amostras foram submetidas à oxidação, para eliminação da matéria orgânica e montagem de lâminas permanentes. Análise do material foi efetuada em microscópio óptico e todas as espécies encontradas foram fotografadas com câmera digital. Um total de 94 espécies foram encontradas, distribuídas em 21 gêneros. O gênero melhor representado foi Pinnularia Ehrenberg (21 espécies e 4 variedade), seguido por Nupela Vyverman & Compère (8 espécies) e Sellaphora Mereschowsky (7 espécies). Os resultados mostraram que o outubro foi o mês com maior riqueza de espécies, período com menor nível de água no lago. A circulação vertical da coluna d'água e a suspensão do material de fundo podem explicar a elevada riqueza de espécies neste estudo. Com relação ao índice de constância das espécies, foi identificado 7% de espécies constantes. Consideramos que o conhecimento da riqueza de diatomáceas nos lagos de inundação da Amazônia vem ser uma importante ferramenta de avaliação da dinâmica do ambiente aquático para manutenção da biodiversidade.