Anais CBFic - Volume 1 - 2018

Sociedade Brasileira de Ficologia - SBFic

Publicado em 26/11/2018

Volume 1 - 2019

Título do Trabalho

ESTUDOS ECOFISIOLóGICOS EM BOSTRYCHIA BINDERI HARVEY: SOBREVIVêNCIA A DESSECAçãO E DIFERENTES CONCENTRAçõES DE DETERGENTE.

Autores

RUTH PESSOA DE LIMA, EMILLE NATANE DE ARAúJO, GEORGE EMMANUEL CAVALCANTI DE MIRANDA

Modalidade

Resumo

Área Temática

1 BIODIVERSIDADE, FILOGENIA E ECOFISIOLOGIA

Data de Publicação

26/11/2018

País da Publicação

Brasil

Idioma da Publicação

Português

Página do Trabalho

http://sbfic.org.br/anais_show/132

ISSN

Aguardando...

Palavras-Chave

Bostrychia binderi, ecofisiologia, dessecação; detergente.

Resumo

Considerando as variações em virtude da oscilação das marés, que afetam a sobrevivência das algas nos ecossistemas de manguezais e a poluição por detergentes à qual os estuários estão submetidos, associado a distribuição do gênero Bostrychia nestes ambientes, este trabalho tem o objetivo de avaliar a capacidade de sobrevivência de Bostrychia binderi a dessecação e a exposição à detergentes, analisando a efetividade do uso desta espécie como bioindicadora. Realizaram-se dois experimentos, um para sobrevivência a dessecação e outro para avaliar o efeito de diferentes concentrações de detergente (DETERBIO - Ac sulfônico;hidroxido de sódio ) sobre a taxa de crescimento da mesma. As algas foram aclimatadas em câmara de cultivo a 24 C, fotoperíodo 12/12 durante 15 dias. Para avaliar a sobrevivência a dessecação cinco tratamentos submeteram as algas 5g (n=5) a diferentes condições de umidade que variaram, conforme o período de tempo no qual as algas eram molhadas (borrifadas) com água do mar filtrada, esterilizada e enriquecida com solução VS (Von Stosh) a cada: 24h; 48h; 96h;192h e 360h. Para avaliar a resposta a presença de detergente no meio, sobre as taxas de crescimento de B. Binderi as algas 5g (n=5) foram submetidas a diferentes concentrações de detergentes, foram testados quatro concentrações: 0,1 ml/l; 0,05 ml/l; 0,005 ml/l e controle (sem detergente). No experimento de dessecação as algas submetidas a borrifadas no intervalo de 1 dia, 2 dias e 4 dias sobreviveram durante todo o tempo de duração do experimento (120 dias), as algas com restrição hídrica acima de 8 dias não sobreviveram ao tratamento. Em relação ao efeito de diferentes concentrações de detergente na taxa de crescimento, observou-se que as algas sobreviveram em todos tratamentos realizados, havendo uma contínua e significativa redução das taxas de crescimento inversamente relacionada ao aumento da concentração de detergente. Concluímos que B. Binderi possui elevada resistência e resiliência a fatores como dessecação e exposição a detergente, este resultado corrobora a literatura para outras espécies deste mesmo gênero, além disso pela distribuição destas algas no manguezal (médio litoral superior) é de se esperar elevada resistência a dessecação. Estes resultados reforçam a ideia de que devido a elevada resistência e resiliência do gênero Bostrychia a mesma não é uma espécie com características para bioindicação.