Anais CBFic - Volume 1 - 2018

Sociedade Brasileira de Ficologia - SBFic

Publicado em 26/11/2018

Volume 1 - 2019

Título do Trabalho

DISTRIBUIçãO DE CYANOBACTéRIAS POTENCIALMENTE TóXICAS NO ESTADO DE GOIáS

Autores

JOICE LARA DAMACENA SANTOS, INA DE SOUZA NOGUEIRA, MARIA TEREZA MORAIS PEREIRA SOUZA LOBO, LUIS CARLOS DO PRADO, LUCAS CAVASIN OLIVEIRA

Modalidade

Resumo

Área Temática

1 BIODIVERSIDADE, FILOGENIA E ECOFISIOLOGIA

Data de Publicação

26/11/2018

País da Publicação

Brasil

Idioma da Publicação

Português

Página do Trabalho

http://sbfic.org.br/anais_show/131

ISSN

Aguardando...

Palavras-Chave

Levantamento bibliográfico, Cianotoxinas, bacias hidrográficas

Resumo

Cyanobacterias potencialmente tóxicas integram naturalmente as comunidades fitoplanctônica e ficoperifítica, sua distribuição está relacionada às características ambientais da região, propriedades físicas e químicas da água e às estratégias adaptativas desses indivíduos. A crescente eutrofização natural ou artificial dos corpos d’água vem aumentando o registro de florações desses organismos. Produtoras de cianotoxinas, as Cyanobacterias constituem sérios riscos à saúde pública. O estado de Goiás é banhado por três importantes bacias hidrográficas brasileiras (Paraná, Araguaia-Tocantins e São Francisco) e tem como principal uso dos recursos hídricos em processos agropecuários, produção de energia elétrica, abastecimento público e industrial. O objetivo do trabalho foi verificar a distribuição de Cyanobacterias potencialmente tóxicas no estado de Goiás. Foi efetuado um levantamento bibliográfico por meio do Periódico Capes e do Google Acadêmico (artigos, teses, dissertações e anais de Congressos), considerou-se espécies potencialmente tóxicas segundo literaturas específicas. Foram localizados 12 trabalhos científicos com registros de Cyanobacterias potencialmente tóxicas, sendo seis artigos científicos, uma tese, duas dissertações, três anais de Congresso. Com este inventário, foram registradas 32 espécies, sendo 13 Synechococcales, 7 Chroococcales, 6 Nostocales e 6 Oscillatoriales. Microcystis aeruginosa (Kützing) Kützing (13% dos ambientes), Cylindrospermopsis raciborskii (Woloszynska) Seenayya & Subba Raju (9%) e Geitlerinema amphibium (C. Agardh ex Gomont) Anagnostidis (8%) foram os táxons que mais ocorreram no estudo. A ocorrência das Cyanobacterias concentrou-se na bacia do Paraná, principalmente no ribeirão João Leite (barragem e reservatório de abastecimento de três importantes cidades do estado) e no Lago Jaó (pesqueiro). Dessa forma, concluímos que a distribuição geográfica esteve localizada nos ambientes cientificamente mais estudados. As outras bacias que banham o estado contaram com nenhum ou poucos trabalhos acerca do assunto. O município de Goiânia apresentou o maior número de táxons de Cyanobacterias tóxicas (80%). Os usos preponderantes das águas nos locais que mais ocorreram estas bactérias fotossintetizantes sugerem uma investigação mais detalhada sobre a biodiversidade e a toxicidades desses organismos, devido aos riscos associados a ingestão de cianotoxinas para a saúde humana e ou animal. (FAPEG; CNPq)