Anais CBFic - Volume 1 - 2018

Sociedade Brasileira de Ficologia - SBFic

Publicado em 26/11/2018

Volume 1 - 2019

Título do Trabalho

UTILIZAçãO DE EXTRATO DE AGARDHIELLA SUBULATA (GIGARTINALES, RHODOPHYTA) NA CONSERVAçãO IN VITRO DE PHYSALIS PERUVIANA (SOLANACEAE)

Autores

LUANE PORTELA CARMO, CARLOS WALLACE DO NASCIMENTO MOURA, ALONE LIMA-BRITO

Modalidade

Resumo

Área Temática

4 USO SUSTENTáVEL DE ALGAS E OUTROS

Data de Publicação

26/11/2018

País da Publicação

Brasil

Idioma da Publicação

Português

Página do Trabalho

http://sbfic.org.br/anais_show/127

ISSN

Aguardando...

Palavras-Chave

Macroalgas marinhas; Cultura de tecidos vegetais; Crescimento lento

Resumo

As rodofíceas são ricas em hidrocolóides, polissacarídeos com capacidade de retenção de água, utilizados em diversos ramos da indústria como agente espessante e gelificante. Dentre estas, Agardhiella subulata é uma das principais matérias-primas para a extração de carragenana. Na conservação in vitro de plantas a adição de agentes osmóticos ao meio de cultura é uma das estratégias mais utilizadas para redução do metabolismo, proporcionando o armazenamento a curto e médio prazo. Neste trabalho nós investigamos a utilização de extrato de A. subulata como agente osmótico para conservação in vitro de Physalis peruviana, uma planta amplamente explorada no setor agrícola devido seu potencial ornamental e nutracêutico. As sementes foram inoculadas em meio de cultura MS¼ (Murashige and Skoog) suplementado com diferentes concentrações de extrato aquoso de A. subulata (0, 1, 2, 3, 4 mg.ml-1). Após 180 dias, foi avaliado número de folhas verdes, comprimento e peso seco da parte aérea e raiz. O nó cotiledonar foi isolado e inoculado em meio MS½ isento de extrato para avaliar a capacidade regenerativa. Todos os meios foram acrescidos de sacarose (30 g.L-1) e ágar (7 g.L-1). O pH foi ajustado entre 5,6 - 5,8 e esterilizado em autoclave. Os experimentos foram mantidos em sala de crescimento com fotoperíodo de 16h, temperatura de 25 ± 3ºC e luz branca fluorescente a 60 µmol m-2s-1. As médias obtidas pelos tratamentos foram submetidas ao teste Tukey a 5% de probabilidade. Após o período de cultivo, verificou-se que a suplementação manteve a viabilidade das plantas e presença de folhas verdes, enquanto que, as não suplementadas apresentavam senescência. O comprimento da parte área foi maior no tratamento com 1mg.ml-1 de extrato. Houve redução do comprimento da raiz nas plantas cultivadas em meio suplementado com 2 e 3 mg.ml-1. Também foi observada diminuição do peso seco da parte aérea e raiz nos tratamento com 3 e 4 mg.ml-1. Todas as plantas cultivadas com suplementação apresentaram capacidade regenerativa. A adição do extrato de A. subulata ao meio de cultura promoveu a diminuição do crescimento in vitro das plantas e pode ser utilizado como método alternativo para conservação in vitro a curto prazo de P. peruviana.