Anais CBFic - Volume 1 - 2018

Sociedade Brasileira de Ficologia - SBFic

Publicado em 26/11/2018

Volume 1 - 2019

Título do Trabalho

CULTIVO DE ALGA MARINHA ATRAVéS DA GERMINAçãO DE CARPóSPOROS EM CONDIçõES SEMI-CONTROLADAS.

Autores

TICIANA DE BRITO LIMA HOLANDA, INGRID QUEIROZ DE MIRANDA, FRANCISCO ÉWERTON DE SOUSA LIMA, FRANCISCO LUCAS DE SOUZA LOPES, ANA CAROLINA MARTINS DANTAS, MáRJORY LIMA HOLANDA ARAúJO, NORMA MARIA BARROS BENEVIDES

Modalidade

Resumo

Área Temática

2 CULTIVO DE ALGAS E SERVIçOS ECOSSISTêMICOS

Data de Publicação

26/11/2018

País da Publicação

Brasil

Idioma da Publicação

Português

Página do Trabalho

http://sbfic.org.br/anais_show/120

ISSN

Aguardando...

Palavras-Chave

carpósporo, germinação, histologia, microscopia

Resumo

A espécie Gracilaria birdiae, ocorre nas águas tropicais brasileiras, da costa do Ceará até o Espírito Santo. O objetivo deste trabalho foi realizar estudos da morfologia, histologia e reprodução dos carpósporos. A alga G. birdiae foi coletada em estruturas de cultivo na Praia de Flecheiras, município de Trairí, Ceará. Segmentos de talos carposporofíticos de aproximadamente 1 cm foram dispostos em placas de cultura, imersos em 10 mL de água do mar esterelizada (AME) + solução de von Stosch meia força (VS/2) + dióxido de germânio (GeO2) e salinidade 36, onde uma lamínula foi posicionada no fundo de cada poço. As placas foram mantidas em incubadora, com uma irradiância de 50 µmol fótons m-2 s-1, fotoperíodo de 14:10 h e temperatura de 28 ± 1°C. Após a liberação dos carpósporos, as lamínulas foram transferidas para placas de petri. A análise por microscopia confocal a laser foi realizada na faixa de comprimento de onda de 548-585 nm referente à fluorescência da ficoeritrina. A coloração com Xylidine Ponceau (XP) pH 2,5 revelou um baixo acúmulo de proteínas no talo e uma maior concentração dessas macromoléculas no cistocarpo. O teste de azul de toluidina (AT) forneceu indicativos da presença de radicais aniônicos nas células corticais. O teste do periodic acid schiff (PAS) revelou maior acúmulo de polissacarídeos neutros na parede celular e nos carpósporos, resultados confirmados através do teste do lugol. A análise do talo por microscopia confocal revelou a morfologia dos tilacóides através da autoflorescência da R-ficoeritrina. Imagens tridimensionais dos carpósporos liberados revelaram que as formas dos tilacóides têm um aspecto de unidade, enovelado e que preenche grande parte do carpósporo. Logo após a liberação, os carpósporos se fixaram e deram início ao proceso de germinação. A primeira divisão ocorreu logo após a fixação no substrato, formando dois planos iguais. Dentro de 2-3 dias, deram-se origem aos estágios tri e tetra celular. Após 4-5 dias, as divisões foram formadas mais rapidamente dando origem aos discos multicelulares. Microtalos cilíndricos eretos foram observados após 20-23 dias da liberação. Diante do exposto, podemos sugerir o método descrito acima para se obter biomassa de algas a partir da germinação dos tetrásporos.