Anais CBFic - Volume 1 - 2018

Sociedade Brasileira de Ficologia - SBFic

Publicado em 26/11/2018

Volume 1 - 2019

Título do Trabalho

FATORES AMBIENTAIS CORRELACIONADOS A EVENTOS DE FLORAÇÕES DO FITOPLÂNCTON NO RIO BACANGA – SÃO LUÍS (MARANHÃO)

Autores

ANA KAROLINE DUARTE DOS SANTOS SÁ, MARCO VALéRIO JANSEN CUTRIM, LISANA FURTADO CAVALCANTI, JORDANA ADORNO FURTADO, FRANCINARA SANTOS FERREIRA, BETHâNIA DE OLIVEIRA ARAúJO, DENISE DOS SANTOS COSTA

Modalidade

Resumo

Área Temática

2 CULTIVO DE ALGAS E SERVIçOS ECOSSISTêMICOS

Data de Publicação

26/11/2018

País da Publicação

Brasil

Idioma da Publicação

Português

Página do Trabalho

http://sbfic.org.br/anais_show/105

ISSN

Aguardando...

Palavras-Chave

Florações, Fitoplâncton; Estado Trófico

Resumo

O Rio Bacanga apresenta problemas ambientais relacionados a urbanização e lançamentos de esgoto in natura, constituído pelos rios das Bicas, Gapara e Jambeiro no meio do seu curso além dos igarapés. Este estudo baseou-se na aplicabilidade de índices de estado trófico e suas correlações com a ocorrência de florações de fitoplâncton no estuário do rio Bacanga (BRE), localizado no Nordeste do Brasil. O BRE é limitado para uma barragem, considerado como um estuário urbanizado, que recebe uma grande quantidade de esgoto diariamente e que contamina a vida aquática e a coloca em risco. As coletas bimestrais foram realizadas em seis pontos fixos distribuídos ao longo do estuário, abrangendo cinco sub-bacias do rio durante o biênio 2012 – 2013. Foram mensurados parâmetros físico-químicos (temperatura da água, salinidade, pH, transparência da água, oxigênio dissolvido, DBO5,20, NID (NH4+ + NO3-+ NO2-), PID (PO4-3), SID (SiO2-3), fósforo total, turbidez, sólidos totais dissolvidos e índices de estado trófico) e biológicos (densidade fitoplanctônica). Análise SIMPER foi aplicada com intuito de determinar as relações existentes entre o estado trófico e as florações do fitoplâncton. A análise foi baseada na abundância do fitoplâncton identificando as “espécies caracterizantes” e “espécies discriminantes” em relação à similaridade e dissimilaridade. Foram identificadas um total de 66 espécies do fitoplâncton distribuídos em 5 grupos: Bacillariophyta (41 espécies), Euglenophyta (9 espécies), Cyanophyta (8 espécies) e Chlorophyta (4 espécies). O BRE apresentou um alto nível de nutrientes inorgânicos (DIN) determinado pelo NH4+ que conduziu ao aumento da abundância do fitoplâncton e das concentrações de clorofila a. No entanto, as concentrações baixas de DIP revelaram o fósforo como elemento limitante para as florações de algas ao longo do estuário. As diatomáceas foram consideradas o grupo dominante, onde as espécies Leptocylindrus danicus (1.451.192 cell.L-1) e Skeletonema costatum (1.891.603 cell.L-1) podem ser consideradas indicadores ecológicos na jusante do estuário com eventos de florações na região da barragem e no rio das Bicas. Os fitoflagelados, como Chlamydomonas sp. (13.174.525 cell.L-1), Euglena gracilis (7.836.642 cell.L-1) e Euglena próxima (1.034.847 cell.L-1) são espécies caracterizantes a montante, também consideradas indicadores ecológicos devido a proliferação em massa dessas algas nos pontos próximos ao rio Gapara.